domingo, 10 de dezembro de 2017

Conheça as araras azul de lear no Sertão da Bahia

Nossa visita a Caldas do Jorro incluiu fazer um pequeno safári em Euclides da Cunha para conhecermos as araras azul de lear, uma espécie em extinção, mas que colore os céus do sertão baiano. Vamos conhecer um pouco desta espécie e como é possível vê-las de pertinho.





  • saindo de Salvador
Euclides da Cunha localiza-se a 323 km da capital baiana. São mais ou menos 5 horas de viagem de carro. Mas para avistar as araras, o ideal é se hospedar em Caldas do Jorro e fazer a visita ao Parque Estadual de Canudos e acrescentar este passeio que vou relatar. De Salvador até Caldas do Jorro são 261 km e gasta-se 4h de viagem. De Caldas do Jorro até Euclides da Cunha são 66 km e gasta-se 1h de viagem. O mapa abaixo é do trajeto de Caldas do Jorro até Euclides da Cunha pela BR-116:



  • Rodovias
No geral, as estradas da Bahia, estão boas e alguns trechos com pequenos buracos na BR-116. O tráfego de carretas é intenso, não há acostamento e às vezes surgem animais na pista, por isso tenha muita atenção ao trafegar. O trajeto para a Fazenda Juazeiro é por estrada de terra, mas trafegável por qualquer carro. Dirigimos no trecho Euclides da Cunha/Caldas do Jorro durante a noite e foi tranquilo
  • de ônibus
No post sobre o Parque Estadual de Canudos (link ao final do post), eu expliquei como ir de Salvador até Caldas do Jorro. Coloquei o telefone da Agerba e tudo mais ... Agora, de Caldas do Jorro pra Euclides da Cunha você vai se informar na rodoviária de Caldas do Jorro ou ver se há transporte alternativo.

Empresas:
Falcão Real ( São Luiz)
Regional
Gontijo


Para avistar as araras há três locais importante nesta região:
  • Estação Biológica de Canudos - a Estação foi criada em 1989 e é administrada pela Biodiversitas, uma fundação de Minas Gerais. Eles cobram de 150 a 290 reais por pessoa para roteiros de visitação para observação das araras e outros animais da caatinga. Em um dos passeios, é possível observar as araras saindo dos paredões de arenito logo ao amanhecer. Para isso, é necessário agendar com bastante antecedência através de email uma visita. Achei algo burocrático e caro ... O pessoal do Blog Impressões de Viagem fizeram este passeio e produziram um vídeo super legal:


  • Estação Ecológica do Raso da Catarina - a estação é administrada pelo ICMBIO e fica próxima a Paulo Afonso e Jeremoabo. As visitas tem caráter educativo e não turístico, mas é possível agendamento. Nunca tentei, mas quando formos a Paulo Afonso penso em fazer este passeio.
  • Projeto Jardins da Arara Azul de Lear em Euclides da Cunha - este projeto fica na Fazenda Juazeiro que faz parte da área de alimentação das araras. Elas passam o dia nestas áreas e a noite regressam para os paredões em Canudos. Pagamos 100 reais para 5 pessoas para fazermos o passeio que vou relatar. Mais informações sobre o projeto, sobre esta espécie, sobre o que tem ameaçado a vida das aves, qual a área de abrangência de conservação, tudo isso e muito mais, assista o vídeo abaixo. Vale muito a pena!

E como foi nossa experiência?


Uns dias antes, entrei em contato com a Marlene, esposa do Mário Reis (Lourinho), guia de observação de aves. Informei que queríamos ver as araras e ela disse que era possível nesta Fazenda. Depois de ver os vídeos acima e relatos de visitação, fiquei na mente que iríamos para os paredões ( não de música, mas de arenito, kkkk). 

Pela manhã, visitamos o Parque Estadual de Canudos e a tarde nos encontramos na BR 116 no povoado de Santo Antônio com o Lourinho Reis. Ele nos avisou que prestássemos atenção, pois as aves apareceriam a qualquer momento. Saímos do asfalto e adentramos uma estrada de terra prestando atenção para avistar as araras. Passou o tempo e nada de arara. Já estávamos chateados!

Continuamos por aquela estrada que fazia o carro sacolejar e nada. Lourinho estava numa moto e ia em nossa frente. Depois de um tempo, ele parou ao lado do carro e explicou mais ou menos o passeio. Não entendemos muita coisa, pois o que queríamos era ver as araras, mas seguimos até a casa da família dele.

Chegando lá, fomos apresentado a Marlene, sua esposa, que estava cuidando do jardim das araras e nos falou de várias curiosidades sobre esta ave. Daí, o Lourinho nos emprestou um binóculo e começou a nos apontar algumas araras que estavam no alto das árvores. Pronto, agora a coisa melhorou. Minha mãe se empolgou e tomou posse do binóculo e gostou da ideia. Marlene nos conduziu pelo mato seguindo um som bem forte, era a arara quebrando o licuri. Nos sentimos fazendo um safári na Àfrica ( local que nunca fomos, kkkk). Mas era um safári no Sertão da Bahia. E ouvimos as aves gritando e voando. Enfim, vimos as araras azul de lear! 








Ficamos animados e o Lourinho nos levou até um local chamado Baixa do Tanque para avistarmos, segundo ele,  um bando de araras fazendo o vôo de regresso ao seu local de dormida em Canudos. Mas elas não apareceram. Tudo bem, entendemos que a natureza é quem manda e as coisas funcionam como ela quer. Se for pra ter tudo "bonitinho" e do nosso jeito, vamos ao zoológico, né? No entanto, ficamos com a vista de um lindo pôr do sol e a experiência de saber que o turismo na Bahia vai muito além de sol e praia.





E claro que não poderia faltar nosso vídeo deste passeio. Se você assistiu os outros, não vai deixar de assistir o meu né, rsrs:




Gostamos da experiência e recomendamos o passeio. Só deixo como observação/sugestão a questão de como as informações nos foi passada antes do passeio. Pois quando chegamos na Fazenda Juazeiro, O Lourinho e a Marlene foram nos explicar que para avistar as araras no paredão, teria que ser pela manhã, que o paredão fica a 30 minutos de carro, e que não pode ser carro comum tem que ser carro traçado, e tudo mais. Se estas informações fossem passadas antes, teríamos nos organizado melhor. Acredito que saber como passar as infos e direcionar o passeio para cada tipo de visitante (biólogo, estudante, simpatizante, pessoas comuns, etc) melhora o serviço.

Se você é observador de aves e quer apenas se hospedar em Euclides da Cunha, em um dos vídeos acima há uma sugestão de hospedagem. A Marlene e Lourinho também podem te ajudar. O Projeto oferece o serviço de transfer para os aeroportos de Paulo Afonso, Petrolina e Salvador.

Lourinho e Marlene
Telefone: +55 75 99846-4725



Siga o Vaneza com Z em:


O blog Vaneza com Z  não possui parceria/ convênio com uma das empresas/ serviços citados no texto.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...