Museu Náutico da Bahia no Forte de Santo Antônio da Barra

0
357

Um atrativo conhecido mundialmente e estrategicamente localizado que permite uma vista muito linda da baía de Todos os Santos principalmente ao pôr do sol. O Museu Náutico da Bahia pode não ser uma visita imperdível, mas proporciona uma vista inesquecível ao entardecer.

Vamos mergulhar na história das rotas marítimas, conhecer um pouco do forte de Santo Antônio da Barra, das embarcações e dos equipamentos náuticos.

Rotas marítimas feita pelos grandes navegadores portugueses

  • Cristóvão Colombo– o primeiro a chegar ás Américas, em Cuba.
  • Vasco da Gama– o primeiro a chegar ás Índias contornando a África.
  • Pedro Alvares Cabral– o primeiro a chegar ao Brasil
  • Fernão de Magalhães – o segundo a passar pelo Brasil, cruzar o Estreito de Magalhães, seguir pelo Oceano Pacífico até Malaca. Após sua morte, assume a missão o navegador Sebastião del Cano.

Mapa das rotas marítimas portuguesas

Vale ressaltar que os navegadores portugueses não foram os primeiros a fazerem estas rotas. Navegadores de outros países haviam feito alguns dos trajetos citados acima. Graças ao museu compreendi essas rotas.

Joaquim Marques Lisboa – Almirante Tamandaré – patrono da Marinha Brasileira

Barco do Recôncavo

Saveiro

Sala das embarcações do Museus Náutico

Esta é minha sala favorita no Museu Náutico da Bahia, pois aqui percebemos a diferença entre saveiros, jangadas e canoas. Detalhe: o saveiro é um produto baiano. Embora tenha influências europeias, o saveiro se adaptou ao jeito e a geografia da Bahia. Serviu para transporte das mercadorias do recôncavo Baiano até o porto de Salvador. Com o avanço tecnológico nos transportes náuticos, hoje é bem pouco utilizado.

Sala das miniaturas

Um trabalho habilidoso do miniaturista Maneca Brandão, da cidade de Itabuna, na Bahia, que apresenta a evolução da ciência náutica desde a chegada de Cabral e os diversos tipos de navios que foram utilizados em acontecimentos importantes do Brasil.

Segue alguns exemplos de miniaturas:


Esquadra Cabral: saiu do Tejo, Lisboa, em 09 de Março de 1500 com 13 embarcações e chegou em Porto Seguro, na Bahia, em 22 de Abril de 1500 com 12.


Corveta Bahiana

  • Corveta Bahiana: primeiro navio brasileiro a dobrar o Cabo de Horn passando pelo Chile, Bolívia e Peru, Pacífico e os Mares da Índia.

 

 
Encouraçado Minas Gerais: construído na Inglaterra em 1908. Participou dos bombardeios ao Forte de Copacabana no Rio de Janeiro e da proteção a Salvador durante a Segunda Guerra Mundial.

Achados arqueológicos submarinos na Baía de Todos os Santos

O fundo do mar revela muita história entre elas o naufrágio do Galeão Sacramento na Baía de Todos os Santos. São peças de porcelana, cerâmica e utensílios usados naquela época e que foram encontrados em águas baianas.

 

Sala dos achados submarinos

 

Navios tumbeiros -Os escravos eram aprisionados em local de pouca ventilação com cerca de 70 cm a 1 mt² por pessoa.

 

 

Convés do navio negreiro

Instrumentos de precisão naval

Para tamanha ciência os navegantes se valiam de instrumentos que indicavam com precisão localização, velocidade e o tempo.
 
Previsor de marés – – Primeiro previsor de marés da América do Sul, que funcionou até 1926.

 

Navisfera – instrumento usado para solução de problemas de navegação como: triângulo de posição e escolha do astro para o cálculo da reta de altura.
O museu esta localizado no primeiro forte do Brasil construído em 1534, Forte de Santo Antônio da Barra. Sua localização é estratégica, na esquina da baía, antigamente chamada de Ponta do Padrão. Este fato, proporciona uma vista belíssima para a Baía de Todos os Santos bem como da Avenida Oceânica e da Av. Sete de Setembro.
 

Se você quer ver o pôr do sol com tranquilidade, entre no Museu. É possível subir o Farol, mas só até as 17h.

 
Vista para Baía de Todos os Santos
 

E a melhor parte eu deixo pro final. A Marinha do Brasil estar com um projeto muito bacana para quem é morador de Salvador. Basta apresentar o comprovante de residência e pagar 5 reais no ingresso e poder subir no farol, visitar o Museu e as exposições. Ligue pro Museu e se informe melhor. Vale muito muito muito a pena! Olha a vista lá do alto:

 

 

 

 

Museu Náutico da Bahia – Farol da Barra – Telefones – (071)3264 3296 / 3331 8039

VEJA TAMBÉM:

Deixe seu comentário:

Por favor, comente!
Coloque seu nome