Projeto Sempre Viva em Mucugê Chapada Diamantina Bahia

0
1183
projeto sempre viva mucuge bahia

Se você vai conhecer a Chapada Diamantina não deixe de conhecer o Projeto Sempre Viva em Mucugê e aproveite para banhar-se em duas boas cachoeiras, pois as trilhas são bem fáceis e o local é bem tranquilo.

Como chegar ao Projeto Sempre Viva em Mucugê

Achar o Projeto é bem fácil e há placas indicativas na rodovia BA 245. Mas antes veja no Google Maps a localização e os comentários:

Assim, o Projeto fica a uns 10 minutos de Mucugê e tem estacionamento gratuito. A entrada custa 20 por pessoa e maiores de 60 anos paga metade.

Objetivos do Projeto Sempre Viva

– identificar e delimitar áreas de ocorrência da espécie Syngonanthus mucugensis;
– desenvolver tecnologias de reprodução e cultivo de sempre vivas;
– criar e implementar uma unidade de conservação para proteger amostras de ecossistemas da região;
– implantar um banco de dados e sistema de informações geográficas;
– promover programas de educação ambiental.

O Parque Municipal de Mucugê é considerado Unidade de Conservação, conforme Resolução CONAMA Nº 011 de 03/12/1987. Seu Plano de Manejo é detalhado, propondo uma forma de gestão integrada, participativa e sustentável. O Parque foi criado pelo Decreto Municipal Nº 235, de 15 de março de 1999.

A visita começa com a condutora nos explicando brevemente as espécies existentes de sempre vivas e como é feito o trabalho de conservação das espécies, visto que há várias ameaçadas de extinção.

projeto sempre viva em mucuge

Informações sobre as sempre-vivas

É importante observar alguns dados do ICMBIO ( Instituto Chico Mendes) acerca das diversas espécies de sempre vivas para entendermos a relevância de um projeto como este:

– Estima-se cerca de 800 espécies para o Brasil, distribuídas em oito gêneros, ocorrendo nas cinco regiões do país, principalmente no Sudeste e Centro-Oeste;

– Eriocaulon L. e Lachnocaulon Kunth são os únicos gêneros que ocorrem também em áreas temperadas. A família apresenta dois centros de diversidade: o principal deles, nas montanhas da Cadeia do Espinhaço, em Minas Gerais e na Bahia (onde recebe o nome de Chapada Diamantina); o centro secundário ocorre nas montanhas da Venezuela e Guianas;

– Entre as ameaças às espécies de Eriocaulaceae, a perda e a destruição de hábitat figuram entre as principais. Queimadas frequentes, atividades de garimpo e mineração, expansão das fronteiras agropecuárias e extrativismo indiscriminado são eventos que afetam diretamente a conservação das sempre-vivas, principalmente daquelas que ocorrem em áreas muito restritas;

– Comanthera brasiliana, C. suberosa, C. magnifica e C. mucugensis são exemplos de espécies micro-endêmicas, de ocorrência muito restrita, que sofrem forte pressão de coleta.

projeto sempre viva em mucuge bahia

 

O que ver no Projeto Sempre Viva em Mucugê

Museu Vivo do Garimpo

A conservação da sempre viva e a exploração do diamante estão intimamente ligados. Quando o ciclo diamantífero entrou em declínio na Chapada Diamantina, as comunidades buscaram outras fontes de sustento, entre elas, a extração de sempre viva que possui    alto valor de mercado na Europa e nos países orientais.

O Museu do Garimpo no Projeto Sempre Viva conta o começo da exploração do diamante, os métodos aplicados, a utilização do diamante e o declínio da atividade. Bem como, a formação de muitas vilas e cidades da Chapada Diamantina, entre elas, Mucugê.

projeto sempre viva em mucuge bahia
bateia, calumbé e peneira

Embora no Projeto Sempre Viva conta-se a história do garimpo do diamante na Bahia, há bem próximo dali outro Museu do Garimpo que custa 10 reais a entrada. Este não visitamos.

Cachoeiras no Projeto Sempre Viva

Depois deste conhecimento sobre a história do Projeto e do Garimpo seguimos para uma trilha que não é guiada, e sim, feita pelo próprio visitante, mas é fácil e rápida, leva uns 20 minutos. Portanto, leve água, protetor, chapéu e lanche, pois faz muito calor e só há venda de bebidas no Centro de Visitantes do Projeto.

Primeiro avistamos a Cachoeira da Piabinhas e por fim a Cachoeira Tiburtino. A queda d’água vai variar de acordo com a época de chuvas, por exemplo fomos em Dezembro/2019 e havia pouca água. Porém o banho na Tiburtino foi super refrescante.

projeto sempre viva mucuge
Cachoeira da Piabinhas
projeto sempre viva em mucuge
a trilha é fácil e bem sinalizada
projeto sempre viva mucuge bahia
Rio Cumbuca
projeto sempre viva em mucuge bahia
Cachoeira Tiburtino
projeto sempre viva em mucuge bahia
um banho refrescante apesar da pouca água
projetp sempre viva mucuge bahia
Poço da Cachoeira Tiburtino

Se deseja saber como é a trilha, principalmente para quem tem dificuldade de locomoção,  confira o vídeo abaixo:

Flora do Projeto Sempre Viva

Não deixe de observar a flora no Projeto Sempre Viva em Mucugê, pois a natureza  costuma nos oferece muitos mimos. Confira:

projeto sempre viva mucuge bahia

projeto sempre viva em mucuge bahia
uma das mais lindas na beira do Rio Cumbuca
projeto sempre viva mucuge bahia
crista de galo

projeto sempre viva em mucuge bahia

Horário de visitação: 8:30 – 17:30 todos os dias.

Telefone: (75) 3338-2143

VEJA TAMBÉM:

Conheça Morro do Chapéu – Chapada Velha

Como chegar a Cachoeira da Fumacinha em Ibicoara

Trilha do Buracão em Ibicoara

Cachoeira do Sossego em Lençóis

Planejamento para o Vale do Pati 

Onde ficar e onde comer na Chapada Diamantina

Deixe seu comentário:

Por favor, comente!
Coloque seu nome